Posts Tagged ‘tragédia’

14/09 – Dia da Cruz

Hoje é comemorado o dia da cruz.
Para nós Cristãos, este é um dos mais importantes símbolos, pois nos relembra o sacrifício de Jesus Cristo no Calvário, que Se entregou pela nossa salvação.

A cruz era um castigo romano e não judeu. Quem conspirava contra o Império Romano recebia a sentença de morte de cruz, a mais vil sentença que alguém poderia receber naquela época. Esta morte era tão abominável que não era aplicada a nenhum cidadão romano, somente aos povos submissos a Roma.

Porém, a morte de Cristo seria para a remissão e isso exigia sangue. Sem sangue não há remissão; Jesus nos substituiu como alvo da maldição; e Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e isso através de Suas pisaduras.

As alternativas de morte da época eram:

  • Enforcamento (Sem sangue e sem maldição);
  • Ferido por lança (Algum sangue e ferimento local);
  • Apedrejamento (Algum sangue e sem maldição);
  • Fome ou sede (Sem sangue e sem pisaduras);
  • Envenenamento (Sem sangue e sem pisaduras);
  • Fogo (Sem derramar sangue e sem maldição);
  • Afogamento (Sem sangue e sem pisaduras);
  • “Fuzilado” por flechas (Sem derramamento de sangue).

Já as características do sacrifício de Jesus foram:

  • Maldição – Cruz – Deuteronômio 21.23;
  • Derramamento de sangue – Coroa/cravos/lança – Hebreus 9.22;
  • Pisaduras – Mãos/pés/cabeça/tronco/órgãos internos – Isaías 53.5;

GRAÇAS A DEUS por este tão sublime e carinhoso sacrifício. E é por ele que temos vida em abundância e a paz e alegria em nossos corações! GLÓRIAS A DEUS!

Que Deus em Cristo nos abençoe! E que nunca nos esqueçamos de Jesus!


“Foi na cruz, foi na cruz
Onde um dia eu vi
Meus pecados castigados em Jesus
Foi ali, pela fé, que meus olhos abri
E agora me alegro em Sua luz”

10 anos do atentado de 11 de setembro

“Então, levantei os olhos e vi, e eis que, diante do rio, estava um carneiro, o qual tinha dois chifres, e os dois chifres eram altos, mas um, mais alto do que o outro; e o mais alto subiu por último. Vi que o carneiro dava marradas para o ocidente, e para o norte, e para o sul; e nenhum dos animais lhe podia resistir, nem havia quem pudesse livrar-se do seu poder; ele, porém, fazia segundo a sua vontade e, assim, se engrandecia. Estando eu observando, eis que um bode vinha do ocidente sobre toda a terra, mas sem tocar no chão; este bode tinha um chifre notável entre os olhos; dirigiu-se ao carneiro que tinha os dois chifres, o qual eu tinha visto diante do rio; e correu contra ele com todo o seu furioso poder. Vi-o chegar perto do carneiro, e, enfurecido contra ele, o feriu e lhe quebrou os dois chifres, pois não havia força no carneiro para lhe resistir; e o bode o lançou por terra e o pisou aos pés, e não houve quem pudesse livrar o carneiro do poder dele.” Daniel 8.3-7

Para alguns, o texto acima é a profecia do atentado terrorista de 11 de setembro de 2001. Podemos comparar os chifres do carneiro às duas torres. Uma era maior do que a outra e ficavam perto de um rio, o Hudson. E a torre maior (norte) foi construída depois (subiu por último). Outro ponto interessante é que nenhum outro animal podia resistir ao carneiro, ou seja, ele era poderoso e soberano, assim como eram os Estados Unidos naquela época.

O bode não toca o chão, logo, só pode estar voando. O chifre entre os olhos pode ser o bico dos aviões. E eles foram arremessados com todo o poder, ou violência, contra o carneiro (as torres gêmeas). A força foi tamanha que derrubou as torres matando milhares de pessoas e cumprindo um feito inimaginável: pela primeira vez na história, os Estados Unidos estavam sendo atacados dentro do próprio território (a ação foi operacionalizada por 19 terroristas).

Não podemos ter certeza da relação entre esta interpretação e o atentado, mas não deixa de ser intrigante.

Certa vez, os discípulos perguntaram a Jesus quais os sinais que comprovariam o tão esperado arrebatamento da igreja, que Ele pregava. O Mestre estabeleceu uma série de eventos e comportamentos que precederiam este momento. Um dos sinais foi este:

“haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo;” Lucas 21.26

Logo após os atentados, a América presenciou um retorno maciço do povo às igrejas em busca de conforto, respostas e segurança. Só o Cristo pode oferecer isto à humanidade!

 

Anne Graham Lotz é a segunda filha do grande reverendo americano Billy Graham. Ela falou sobre o atentado, no dia 13 de setembro à Jane Calyson, apresentadora do “Early Show”, para oferecer algum conforto às famílias das vítimas.

Ao longo da entrevista, a apresentadora fez a seguinte pergunta à sra. Anne:

– Eu ouvi pessoas dizendo, algumas religiosas e outras não, que se Deus é bom, como Ele poderia permitir algo como isso (atentado) acontecer? Quanto a isso, o que você diz?

Sra. Anne deu uma resposta extremamente profunda e sábia. Ela disse:

– Eu digo que Deus fica tão triste quando vê algo assim acontecer quanto nós. Eu gostaria de dizer também que por muitos anos, nós americanos de uma certa forma, chacoalhamos nossos punhos contra Deus e dissemos: Deus, nós queremos que Você saia de nossas escolas, governos, negócios, nós queremos que você saia de nossas vidas. E Deus, que é um cavalheiro, calmamente se retirou de nossa vida nacional e política, de nossa vida pública. Removemos Suas mãos abençoadoras e Sua proteção. Nós precisamos primeiro voltar a Deus e dizer: Deus, nós pedimos desculpas pelo modo que O tratamos e nós O convidamos agora para entrar em nossa vida nacional. Nós colocamos nossa verdade em Ti. Nós temos nossa verdade em nossa moeda, nós precisamos mudar isso.

A prosperidade financeira secularizou os Estados Unidos. As orações no início das aulas foram retiradas; a leitura da Bíblia nas escolas foi banida; a correção física dos pais para com os filhos foi condenada; a disciplina dos professores e diretores aos alunos foi suprimida; o aborto é tolerado (e às vezes incentivado); a libertinagem invadiu a vida privada das pessoas; a apreciação impura de corpos nus e cenas de sexo é considerada sadia; os shows de TV e filmes que promovem violência, profanação e sexo ilícito fazem o maior sucesso; as músicas que estimulam o estupro, drogas, assassinatos e suicídios são largamente divulgadas… Ao longo dos últimos anos vemos este mesmo roteiro acontecer na Europa. A culpa dos males é de Deus?

“[Senhor,] Livra-me dos que praticam a iniquidade e salva-me dos homens sanguinários,” Salmos 59.2

O atentado que completará 10 anos no próximo domingo nos mostra o quão frágil e pequeno somos. Também nos mostra que o homem mortal tem preferência pela guerra, pelo mal, pela revanche e pela morte.

Porém, quando permitimos que o Espírito Santo viva em nossos corações, há abundância de amor. Há respeito, compaixão, sacrifício, alegria, paz, tranqüilidade, segurança…

Ore a Deus para que Ele nos proteja do homem mal, do homem sanguinário. E não se esqueça de que a nossa vida é muito curta e não tem ensaio. Todas aquelas quase 3 mil pessoas que morreram no atentado não tiveram o amanhã. O 12 de setembro de 2001 não existiram na vida delas. Suas vidas foram terminadas. Se elas aproveitaram a vida ou não, ela se findou.

Vou pedir licença a você para repetir o texto que lemos na sexta-feira passada:

“Por isso, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades.” Mateus 6.34

Que a segurança em Cristo fortaleça a nossa fé!

Cenas – Álvaro Tito

CENAS
Álvaro Tito

Se quiser falar com a voz do sentimento
E quiser se abrir, desabafa o coração
Confidenciar que esquecida sofre a alma
Rodeado de amigos, vivendo na solidão.

Feliz vida, o palco representa seu papel
Bate coração, pois a cena é irreal
Quer falar de amor, experiência mal vivida
Em conflito com o seu eu, nem consegue se amar.

Jesus Cristo é a força que você precisa
Jesus Cristo é a paz que você procura
Jesus Cristo é o amor que te falta ao coração
Jesus Cristo é o abrigo, Ele é o fiel amigo.

Feliz vida, o palco representa seu papel
Bate coração, pois a cena é irreal
Quer falar de amor, experiência mal vivida
Em conflito com o seu eu, nem consegue se amar.

Relato sobre Deus

“Não se foge de uma vida melhor, de uma vida abundante e de plena liberdade. Não se foge da revolução – a revolução do amor. E não se foge de Deus – Deus no sentido mais pleno da palavra. Um Deus que ama Suas criaturas, todas elas. Um Deus que tem misericórdia. Um Deus que cura. Um Deus que liberta. Um Deus que é justo. Não se foge de um Deus de carne e ossos. Precisamos de uma pessoa real, de um Pai verdadeiro, alguém que é realmente santo, alguém que realmente ama. Não há fuga de um Deus real. Não há fuga de Jesus Cristo. Não há Deus como Ele. Ele nos criou, Ele nos ama com paixão e deseja o mesmo de nós em troca.”

Poesia escrita por um cristão perseguido após duas prisões e diversas sessões de tortura por seguir a Cristo.

Liberdade

Cristão morto na Turquia por intolerância

“Muitos países e povos do mundo ainda não tem a liberdade de proclamar o Evangelho. Eles desesperadamente necessitam de pessoas como nós que os ajudem a proclamar a vontade de Deus, o poder de Deus, o reino de Deus, os princípios de Deus, o amor de Deus, a justiça de Deus e a paz de Deus. Um dia todos proclamarão Seu nome, e diz a Bíblia que será em breve!”

Por Irmão André, presidente da “Missões Portas Abertas” (www.portasabertas.org.br). Citação do livro”Desafiando os limites da fé”.

18/05: Dia nacional de combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes

A data de 18 de maio foi estabelecida em 2000, pela Lei Federal nº 9.970, como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Tem como objetivo mobilizar a sociedade para o problema da violência sexual infanto-juvenil. A participação da população é fundamental para que este crime seja denunciado e punido, mas principalmente para que o jovem tenha sua sexualidade respeitada.

Saiba como denunciar no site da ABRAPIA: http://www.abrapia.org.br ou ligue para 0800 990500.

Como surgiu o 18 de maio
A data foi escolhida porque em 18 de maio de 1973 em Vitória-ES um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Crime Aracelli”. Esse era o nome de uma menina de apenas 08 anos de idade que foi raptada, drogada, violentada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta daquela cidade. Esse crime, apesar de sua natureza hedionda prescreveu impune. O crime ainda causa indignação e revolta. Para lembramos sempre o Caso Aracelli, o dia 18 de maio foi estabelecido como Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, pela Lei no. 9.970, de 17 de maio de 2000, por iniciativa da então deputada Rita Camata (PMDB/ES), presidente da Frente Parlamentar pela Criança e Adolescente do Congresso Nacional.

A data foi criada para motivar a mobilização dos diferentes setores da sociedade, dos governos e da mídia para formação de uma forte opinião pública contra a violência sexual de criança e adolescente. Espera-se também estimular e encorajar as pessoas a denunciarem/revelarem situações de violência sexual, bem como criar possibilidades e incentivos para implantação e implementação de ações de políticas públicas capazes de fazer o enfrentamento do problema.

Fonte: http://www.ipas.org.br/

Tragédia em Realengo

Dia 07 de abril, última quinta-feira, uma tragédia ocorreu no bairro Realengo, no Rio de Janeiro. De lá pra cá, diversas discussões na mídia e nas rodas de amigos buscam entender as motivações do assassino, a trama que premeditou e a insegurança patrimonial do sistema educacional brasileiro.

Pra mim, a efetiva discussão é como fazer com que outros jovens não tenham a mesma idéia de matar crianças com fins ideológicos, religiosos, psiquiátricos ou de terrorismo.

A Bíblia nos deixou diversas previsões sobre o futuro. Uma delas está registrada, nas palavras de Jesus, pelo evangelista Mateus:

“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos.” – Mateus 24.12

Com um pretexto ainda desconhecido, mas certamente injustificável, Wellington Menezes de Oliveira, 23, assassinou 12 crianças. Acabou não só com 12 vidas, mas 12 famílias, 12 futuros e 12 sonhos.

Às vezes, parece que a pós-modernidade nos deixa insensíveis!

Tragédia em Realengo

Tragédia em Realengo

O rei Davi, ao escrever o Salmo 140, fez uma oração que cabe bem a este momento:

“Livra-me, SENHOR, do homem perverso, guarda-me do homem violento, cujo coração maquina iniqüidades e vive forjando contendas.” – Salmos 140.1,2

Que Deus nos guarde destas tragédias e que nos esforcemos a disseminar o amor a Deus e ao próximo!

%d blogueiros gostam disto: